sábado, 17 de janeiro de 2009

Sou apenas um ponto dentro de mim...


Quando esse véu me cobre os sentidos
Minhas asas se recolhem
A manha me encontra com o olhar longe...
Separo-me de minhas palavras sagradas,
Sou um ponto dentro de mim.

Esqueço-me de meus vôos
Do meu canto nas estrelas...
Esqueço-me porque parti,
Porque é preciso estar aqui...

Eu sou como a brisa que completa a manhã
Eu sou como a cor que tinge a vida
Estou na vontade de cada um que sonha...

Mas, quando esse véu me cobre os sentidos...
Esqueço...

Mergulho no abismo
Sou apenas um ponto dentro de mim.
Lílian Baroni

2 comentários:

antónio prates disse...

"Estou na vontade de cada um que sonha...

Mas, quando esse véu me cobre os sentidos...
Esqueço...

Mergulho no abismo
Sou apenas um ponto dentro de mim."


As palavras belas dão descanso às minhas palavras... Adorei!

elisabete cunha disse...

Liliam

Realmente vc escreve de maneira formosa,parabéns!
DAS UTOPIAS
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

Mário Quintana